Entrevista de Jessica do Nascimento



Olá, pessoal! A entrevista de hoje é Jessica do Nascimento, uma amiga escritora, acho que gostarão de saber mais sobre suas opiniões! Ela é minha colega de editora, na Tribo das Letras! Beijos!

Biografia

Jéssica da Silva Santana do Nascimento, 22 anos, Paulistana, de Mauá (ABC Paulista) cursando letras oitavo semestre. Escritora desde os doze anos, influenciada pela mãe, e pelo pai que contava história antes de dormir. Casada aos 21 anos, em 26 de outubro de 2014. Filha do meio, de Sérgio José de Santana e Nilza Teodora da Silva Santana. Irmã de Larissa da Silva Santana e Renan da Silva Santana.
 
Como você começou a escrever?
R: Bom, devo isso a minha mãe, eu odiava ler e escrever, e por isso não era a melhor aluna em português. Então, minha mãe me obrigava a fazer ditados kkk, e me levou a biblioteca pública da minha cidade para escolher dois livros que eu teria de ler em quinze dias. Desde então, jamais parei de ler, quando eu tinha mais ou menos doze anos comecei a inventar pequenas sequência em minha mente para a história que eu lia, e daí até escrevê-las, foi um pulo.

Qual foi o livro que mais te marcou até hoje?
R: A Cabana, de William P. Young.

Qual seu escritor favorito em todos os gêneros literários que gosta?
R: Agatha Christie.

Como você acha que será a sensação de ver alguém lendo seu livro quando for publicado?
R: Acho que vou me sentir orgulhosa, pois, escrevi algo que as pessoas irão querer ler (espero).

Qual a sensação que imagina ao ter vendo seu livro nas livrarias?
R: Euforia pura. Acho que vou chorar de tanta alegria, é um sonho que a muito espero por realizar.

Quando você está escrevendo, costuma pedir opinião de alguém sobre a história, algum familiar ou amigo, ou um leitor beta?
R: Não foi muito com essa intenção, mas, acabei ganhando duas betas durante meu processo de escrita. Jaine e Marcia, duas amigas que amo muito e confio. Elas me dão dicas, e opiniões sobre minhas histórias.

Você costuma pensar nas cenas que acontecem na sua história ou apenas tem a ideia e escreve no computador?
R: Eu penso muito. Alias, quase fico bitolada com certas ideias. Têm ideias que vêm na hora que eu escrevo, outras acordam comigo, e jamais me largam até que se consolidem no papel.

Qual o gênero literário que você se dedica? Tem outros em mente? Tem algum gênero que não quer experimentar de modo algum?
R: Eu não digo que me dedique a um único gênero, mas, gosto muito de fantasia e ficção-cientifica, meu próximo projeto, porém, está ligado a um romance contemporâneo. Não me ligo a um determinado gênero, não sou eu que, os escolhe, mas o contrário. A inspiração para uma história vem, e eu simplesmente escrevo, não importa seu gênero. Sobre não escrever algum gênero, talvez romance erótico, não é a minha praia.

O que te faz querer comprar um livro na livraria?
R: Uma serie de fatores, acho que uma sinopse que me deixe curiosa é o principal.

Você costuma reescrever seu livro várias vezes até achar que está bom?
R: Ultimamente, eu tenho achado minha escrita mais madura, mas, minhas histórias anteriores, escritas e paralisadas por algum motivo, sempre me deixam furiosa ao ler. Eu penso “Não posso ter escrito isso”. Mas não costumo escrever milhares de vezes até achar que esta bom.

Você costuma escrever quando vem a inspiração ou tem uma rotina? Tipo, acorda de madrugada quando a ideia martela ou espera pelo dia seguinte?
R: Eu acredito que se uma ideia é boa de verdade ela vai martelar em minha mente até ser concretizada. É isso que me faz decidir entre escrever ou não uma história.

Tem algum livro que você gostou tanto, que gostaria de ter escrito? Ou algum livro que leu e não gostou nada?
R: Espero não ser crucificada, mas, eu odiei cinquenta tons de cinza, e sinceramente não acho que a escritora tenha dito uma ideia genial com a história. Peço todos os dias para não escrever algo tão ruim.

Você costuma pesquisar antes de escrever alguma coisa em especifico?
R: Sim, uma de minhas histórias está empacada, pois, sou incapaz de achar alguns detalhes importantes para um determinado personagem, uma doença em particular. Eu tento pesquisar, para não escrever nenhum absurdo.

Você costuma fazer personagens baseados em pessoas reais ou são apenas fruto de sua imaginação?
R: Eu acredito ser impossível escrever apenas se baseando na imaginação, cada um de meus personagens, ou a grande maioria, tem bases reais, inclusive em mim. Meus personagens são um emaranhado de características que esta presente em pessoas do meu convívio. Meus pais, irmãos, amigos e agora até meu marido (kkkk)

Qual o seu conselho para quem está começando a escrever e quer publicar?
R: Primeiro eu acho que se tornar escritor deve ser um sonho, algo que se quer tanto que não deve se depender das opiniões alheias, de ninguém, nem da daqueles que você mais ama. Segundo, não vai ser fácil, você vai encontrar diversas barreiras, suas, ou externas. E você ainda terá que confiar em si mesmo. E dez por cento inspiração e noventa transpiração.

Para quem quiser conhecer as histórias da autora no Wattpad e no Widbook.


Blog pessoal


Fanpage

Livro que será lançado pela Editora Tribo das Letras


Alice é abandonada e se torna órfã com poucos dias de vida. Seu único refúgio é a biblioteca da cidade e esse é o lugar que ela escolhe para ir na noite que foge do orfanato. Entre os livros ela acredita que está segura, entretanto ao abrir um é sugada para dentro da história. Entre dragões, fadas e elfos descobrirá toda a magia desse mundo. Porém, contos de fadas não são tão perfeitos como ela imaginava, Alice terá que encontrar forças para encarar um Rei tirano. Se transportar para essa história pode ser fascinante e perigoso.

O livro será exposto no Estande da Editora Tribo das Letras, no Bienal do Rio. O livro Inicipiens - Iniciante, da escritora Jéssica do Nascimento, está exposto lá. A autora terá seu dia de lançamento em 07 de Setembro, às 17:00.

 Muito obrigada pela entrevista, amada, muito sucesso!

0 comentários