Entrevista de Michell Paciletti


O entrevistado é Michell Paciletti, médium e escritor.

 -1º- O QUE TE LEVOU A ESCREVER?
Estando eu a esperar uma pessoa na cidade, surgiu-me na mente uma pequena História que eu iria contar em nossa reunião, em nosso núcleo espírita; como sendo quarta feira retive a mesma para comentar na segunda feira e posteriormente na quarta feira, contudo, na segunda feira na hora do almoço, para não esquecer, comecei a escrever em folhas utilizadas pelos bancos que contem furos nas duas margens, que por sinal o bloco destas me servia como suporte do estepe de meu carro para que não fizesse barulho quando de repente observei que o lápis começou a deslizar com rapidez escrevendo inúmeras folhas, assustando-me onde posteriormente uma influência dominadora já conhecida por mim devido à mediunidade com que fui agraciado desde criança, deu-me a conhecer todo o conteúdo do romance posto na íntegra em meu cérebro pelo espírito comunicante.

-2º- Qual foi o livro que te influenciou em sua escrita?
Creio que nem um livro tenha me influenciado.

-3º- conte um pouco sobre o que você escreve.
No decorrer de minha singela mediunidade ao longo de mais ou menos -50- anos somente recebia,  através da psicografia poesias comemorativas do dia das mães, dos pais, de natal, sobre o aborto etc.

- 4º- Qual foi, o primeiro livro que você leu na vida ou algum que tenha gostado muito?
O primeiro livro que muito me atraiu intitulava-se “Argos” se não me engano: “O Gigante da Espiritualidade”.

- 5º - Fale um pouco de seu livro, sobre esse projeto.
De véras, a história em que o autor espiritual afirma ser verdadeira, a meu ver é cativante e emociona por demais o leitor, todas as pessoas que já o leram me afirmam que é um romance em que não conseguem parar de ler buscando o final da história e quando isso acontece lamentam por ter acabado.
Quanto ao projeto; Este romance destina-se à caridade em socorrer o asilo “Pousado do sol”- Situado na  Cidade de Embu Guaçu, SP - que abriga cerca de - 35- velhinhos- que são assistidos pelo nosso núcleo espírita a – 16 – anos.

- 6º - Quando surge o momento da inspiração para escrever?
Este momento se apresenta quando o espírito comunicante me envolve em suas emanações de paz e serenidade, pedindo-me para que eu atenda ao seu chamado para psicografar.

- 7º - Quando você decidiu que era hora de escrever?
Não há decisão de minha parte, os amigos celestes me envolvem com a sua bondade e o seu fraternal amor convidando-me ao labor, em que me disponho prazenteiro.

- 8º - Quando começou a escrever, pensava em publicar algum dia?
De modo algum, alias vez ou outra me lembrava das palavras de nosso inesquecível “Chico Xavier” que certa feita mencionou dizendo: Que ele se sentiria realizado quando em sua vida pudesse, plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro,

- 9º - Você já pensou em não escrever, sabendo que ser escritor no Brasil é tão difícil?
Não penso nesta dificuldade, tendo por objetivo a prática do amor e da caridade, no caso, socorrer a quem sofre.

- 10 – Tem alguma coisa que acontece e que você não consegue mais escrever?
Desconheço, pois antes de qualquer atividade, principalmente em relação à mediunidade, devemos nos elevar a “Deus” através do Príncipe Celeste “Jesus” pedindo o seu amparo e executar a tarefa com amor e por amor, servindo como medianeiro aos Divinos Propósitos, entre as duas dimensões da vida espiritual e física.

- 11º - Tem alguma parte do seu livro que tenha te deixado emocionado?
A emoção é constante a cada capitulo sendo que no final da história mediante os vários testemunhos o leitor chega às lágrimas o mesmo acontecendo comigo.

- 12º - O quanto você gosta de escrever?

Não sou muito afeito a escrever, mas atendo ao chamado do alto com gosto; talvez devido ao tempo que me é escasso por conduzir o “Lar Espírita Irmão Max” e atendendo a outros efeitos mediúnicos como a música que recebo ao piano dos compositores do alem sem que eu conheça uma só nota musical.

- 13º - É o seu passatempo predileto?
Não.

- 14º - A temática espírita é bem lida, seu livro trata de que questões?
A temática é esclarecedora e aborda as leis que regem os Universos da vida de “Ação e de Reação“ de “Causas e de Efeitos” referindo-se ao verdadeiro amor que se perpetua além do sepulcro referindo-se inclusive aos processos da reencarnação.

-15º - Depois de escrever, como é o processo de revisão?
A revisão é feita pela editora, no caso o “Correio Fraterno”.

- 16º - É cansativo ou faz com Prazer?
Pode até ser cansativo, mas o faço com amor e por amor.

- 17º - Dê uma dica para quem está pensando em publicar o primeiro livro.
Que o livro possa trazer esclarecimento e orientação para os nossos irmãos em humanidade que estão perdidos e distantes de “DEUS”.

Obrigada pela entrevista e sucesso com seu livro!

0 comentários