Entrevista Com Autora Betânia Vicente!


Biografia

Betânia Vicente é de São Paulo. Sempre gostou de escrever, desde criança, e a leitura sempre foi incentivada em casa. Ama séries de televisão, livros e música.
Sempre gosta de estar rodeada pelos leitores e fica on-line 24h, nas redes sociais, tentando responder à todos.

Quando você começou a escrever?
Comecei a escrever quando eu tinha 17 anos, foi um livro chamado "Lágrimas".

Quando percebeu que seu estilo de escrita era para desenvolver livros hot?
Então, sempre acreditei que a história em si, tinha que falar, eles se conheceram e se amaram, mas queria colocar era a forma como eles se desejaram e foi assim que meu primeiro livro "Lágrimas", teve a primeira cena de sexo bem forte, que se seguiu com "Samantha", "O Delegado", etc, livro de romance, sempre tem que ter cena de amor com prazer.

Fale um pouco de cada um de seus livros e quais mais gostou de escrever.
Citei "Samantha", como meu preferido, vou contar de "Melissa", uma adolescente que acaba se apaixonando pelo seu professor de literatura, é aquela coisa, bate questão de fator idade.
"O Delegado", é bem hot mesmo, daquele de molhar a calcinha, como eu costumo dizer, ele, como delegado, leva a vida noturna sempre trabalhando a noite, seu melhor amigo é Davi, do qual é irmão de Antonella, uma mulher decidida, que se assume como está, gordinha, e está satisfeita do jeito que é, seu irmão, Davi, é muito controlador mas que a ama muito, Antonella é barraqueira mesmo e o delegado quando vê ela, se apaixona imediatamente.
“No Laço do Cowboy”, é trilogia, como “Samantha”, conta a história dos irmãos Dragonni, especificamente, Ryder, um homem solitário, cuja única função, é cuidar do seu filho, Noah, é quando conhece Mia, uma moça gordinha, do qual, sua vida vira um inferno, quando seus pais decidem que ela deve se casar com Nico, o homem que a traiu, mesmo não querendo nada com ele, se vira contra os pais e vai embora de casa, quando leva um tapa no rosto do seu próprio pai, assim, na companhia de sua amiga, as duas vão embora pro Texas, e lá, ela conhece Ryder, caindo de amores pelo seu filho pequeno.
“Redescobrindo o Amor”, é uma duologia de “Melissa”, conta a história da mãe de Melissa, uma mulher marcada pelo passado, vive com medo, por ter sido agredida em sua própria casa pelo ex-marido, sua vida é a enfermagem e sua filha Melissa, quando ela se descobre apaixonada pelo seu amigo Ricardo, o diretor do hospital, que sempre foi apaixonado por ela.

Qual a maior dificuldade que sentiu na hora de escrever um livro?
Foi em “Samantha”, as cenas para descrever o preconceito sobre ser gordinha, humilhação de ver seu próprio vídeo pornô, vamos dizer assim, cair nas redes sociais, a leucemia, falar como se trata de um tratamento, aonde tem poucos doadores, para se fazer transplante.

Você pensa em escrever outros estilos ou apenas hot?
Continuo no hot sim, mas claro que quero escrever um romance bem suave, estilo “Samantha” e “Redescobrindo o Amor”.

De onde você criou seus personagens? São baseados em fatos reais?
Então quando vem um título na minha cabeça, vai surgindo os nomes dos personagens e também a historia, sempre conto com amigas, que me ajudam numa dificuldade com nomes de personagens e sempre estão me dando dicas, não são baseados, mas tem gente que se identifica muito com as histórias.

Qual escritor ou escritora que te fez perceber que queria escrever?
Muitos escritores, tanto brasileiros quanto internacionais, se eu for citar, vou ficar a noite toda, kkkk.

Qual seu próximo projeto?
Então, vou finalizar “No Laço do Cowboy”, “Melissa” e “Redescobrindo o Amor”, pra depois focar no livro “Química Explosiva”, com as minhas amigas, somos o “Quarteto Escritoras", também iniciarei um novo livro chamado “Jessica”, etc...

Você costuma escutar música ou ler antes de escrever?
Sempre ouço muitas músicas, na hora que estou escrevendo e ler, sim, eu leio, mas eu com os livros, não me dão muita chances de ler os livros dos meus amigos autores, e também não amigos.

Qual livro hot que leu e mais gostou?
Muitos livros, Jo Magrini, eu amei o livro dela, Lara Smith, Debby Scar, Lilian Guedes, Kakau Tiamo, Amy Grey, Widjane Albuquerque, Sue Hecker, entre muitas autoras que li e amei conhecer, mesmo que seja virtualmente.

Você tem planos de publicar por alguma editora?
Sim, a editora SPZ, está publicando “O Delegado” também vai publicar a segunda edição de “Samantha”, na qual, eu estou fazendo independente.

Como se sente vendo os votos e comentários nas suas histórias no Wattpad?
Toda vez, que eu entro no site ou no aplicativo, fico surpresa pelo carinho que as pessoas demonstram ao ler e ao votar no meu livro, amo muito os comentários que eu recebo, dou muita risada pela brincadeira que eles vivem me ameaçando, de me matar quando demoro pra postar.

Quando sente dificuldade para escrever, pede conselho de alguém ou lê algo para quebrar a situação?
Eu leio, ouço música, assisto seriados, shows, filmes, converso com as minhas amigas autoras, e olha, que já enchi o saco delas direto sobre dúvidas de livros.

Quanto tempo demora para você finalizar um livro?
No mínimo, uns oito meses a um ano.

Quanto tempo costuma dedicar a escrever?
Então, sempre que dá, eu costumo escrever, aproveito as horas livres no meu serviço pra escrever.

Qual de seus livros tem maior sucesso entre os leitores?
“Samantha”, que tinha 150.000 leituras, “O Delegado”, com 40.000 leituras e “No Laço do Cowboy”, com 32.600 leituras, vou dizer que essas são minhas maiores surpresas.

Quando vem a ideia para escrever alguma cena, você guarda para o dia seguinte ou corre para o computador?
Eu escrevo logo, no celular.

Costuma pesquisar para seus livros?
Sim, costumo, pra “Samantha”, eu fiz uma pesquisa sobre leis, sobre doença, leucemia, seus transplante e doação.

Qual a fórmula que segue para escrever? Tipo, faz um roteiro antes de começar o livro ou vai criando enquanto escreve?
Eu vou criando conforme vai rolando um texto na minha mente, dizendo como deve ser a cena específica, vai surgindo e vou escrevendo.

Você acha que os brasileiros ainda poderão ler mais livros por ano?
Sim, com certeza, e devem, nós temos autores maravilhosos e também os internacionais, ninguém deve deixar de ler, eu mesma incentivo a leitura sempre, por que o livro muda uma pessoa e sempre é pro bem, no livro, a gente entra dentro dele e dependendo do livro, a gente não quer sair nunca mais dele.

Quem quiser comprar o livro físico "Samantha", acesse o site de Betânia Vicente ou converse inbox.



Obrigada pela entrevista, amada!

1 comentários

  1. A honra foi minha amanda e foi um prazer sempre pode contar comigo.bjsss linda.

    ResponderExcluir